segunda-feira, 7 de julho de 2008

Semana do Desapego

Do mesmo jeito que avião não pousa ou decola em dias cinzas, de neblina forte, sentimentos deveriam ser pacientes e aguardar a orientação de uma espécie de painel de bordo para entrar e sair. Como em fila de balada, só entra um, quando outro sai.
Falo isso agora, mas na verdade adoro um caos. E adoro sentir.
E se for preciso sangrar, que sangre, até a porra do sangue estancar.

Vou expor minha neblina:
Medo
decepção
ALÍVIO
Aperto no coração
ANSIEDADE
Saudade
e claro, felicidade.

Eu só me pergunto porque a decepção nãe esperou a ansiedade ir embora antes de entrar?
E o medo, porque se junto à decepção? Ah! E o coração que foi apertar bem na hora que eu sentia medo!

Sejam Bem-Vindos: Semana do Desapego

Então tá, já que sentir saudade será inevitável, que seja do jeito que eu gosto:
NA VEIA

Cordel do Fogo Encantado
Eu vou cantar pra saudade
Com seu vestido vermelho
E a sua boca

Eu vou cantar pra saudade
Descer na minha cabeça
E comandar sua festa

Aquele cheiro, som, imagem do teu corpo incendeia
E um rio carregado de saudade vem correr na minha veia
Na veia, amor, na veia
É como a luz da lua que atravessa a parede da cadeia
Clareia mais forte que o sol, (muito mais)

E Quando a saudade chegar com seu batalhão de agitadores
E tantas bandeiras
Vou cantar aquele som da gente
Vou rasgar o teu vestido novo